Popó sobre a relação com o filho gay: “Se não tratarmos bem em casa, quando chegarem na rua vão maltratar”

No domingo de dia dos pais (14/08/2017), o ex-lutador de boxe Acelino Popó Freitas, 41, em entrevista ao programa Sensacional da RedeTV! falou pela primeira vez sobre a relação com o filho homossexual de 17 anos. “Eu tenho um filho de 17 anos que é gay. Meu tratamento com ele é de igual para igual, como um homem mesmo que criei. Tem muitos pais que até num dia como hoje botam pra fora, que maltratam. Mesmo eu sendo lutador de boxe, tem aquela história do machismo, do homem que bate, temos que tratar nossos filhos como nossos amigos. Se não tratarmos bem em casa, quando chegarem na rua vão maltratar” revelou o tetracampeão mundial que não disse o nome do filho por segurança.

O ex-pugilista também declarou ter se surpreendido com a revelação do garoto, que se assumiu aos 15 anos de idade: “Eu nunca desconfiei de nada. Meus irmãos, primos diziam: ‘Meu tio, você não está desconfiando de nada não?’ Eu dizia que não porque sempre criei meus filhos como homem e pra mim eram assim pro resto da vida. Chamei ele pra conversar. Ele disse: ‘Meu pai, eu sinto atração por meninas, mas sinto também por meninos, ainda não me identifiquei’. Pouco depois me apresentou o namorado”, revelou o campeão.

Em entrevista ao UOL Esporte, Popó, pai de mais 5 meninos, ressaltou que não houve mudança na relação: “Eu acho ele mais macho que os outros cinco. Ele tem mais atitude. Tem que ser muito macho para aguentar outro homem com bafo na nuca dele. Eu mesmo não teria essa coragem toda.” Na mesma entrevista, ele também falou sobre a aceitação da sexualidade do filho e sobre a discriminação: “A sociedade discrimina muito. Tenho certeza que ele vai receber muita rejeição em alguns lugares, mas meu carinho por ele aumentou mais ainda. A gente vê o pessoal na rua batendo, maltratanto as pessoas porque elas têm suas opções. Espero que isso nunca aconteça com ele. E se acontecer, eu vou com a mesma ira para cima, pra descontar na porrada”, avisou o pai.

Em junho, em seu perfil do Instagram, Popó já havia legendado com “Meu filho é e daí?” a imagem de um coração com as cores do arco-íris acima da hashtag orgulho. À revista VEJA, ele afirmou que tornou pública a orientação sexual do filho para diminuir o preconceito.

Popó foi um baita modelo aos pais de pessoas LGBTs ao aceitar o filho incondicionalmente (esqueçamos algumas falas machistas das entrevistas, o mais importante foi amar o filho por quem ele realmente é!), mas também outros pais e mães famosos souberam lidar muito bem com essa situação e estão de parabéns, ajudando a espalhar exemplos de amor e aceitação.

 

Confira alguns famosos que partiram para defender os filhos LGBT no Brasil:

O apresentador de TV Marcelo Tas, pai de Luc, um homem transgênero.

O ator Kadu Moliterno, pai de Kenui, um homem gay que possui o canal no YouTube chamado “Gay Code”.

O jogador de futebol Toninho Cerezo, pai de Lea T., uma modelo transgênera.

A dançarina Gretchen, mãe de Thammy, um homem transgênero.

Alexandre Mortágua é filho do ex-jogador de futebol Edmundo com a ex modelo Cristina Mortágua.