Homossexualidade debatida em Luanda

Fiéis e leigos da Igreja Metodista Unida reunidos em Luanda, no âmbito da Semana Bíblica que termina hoje, debateram o tema “Homossexualismo e suas consequências para a sociedade”.

As consequências sociais da prática homossexual foram abordadas em Luanda
Fotografia: Santos Pedro | Edições Novembro
A pastora Eva Cosme, que falava durante uma palestra realizada na paróquia Reverendo António Moniz, na centralidade do Sequele, município de Cacuaco, província de Luanda, entende que “o homossexualismo não pode ser considerado como um factor de carácter genético”.
“O factor biológico ligado à homossexualidade não está na genética propriamente dita, segundo a Bíblia Sagrada. São as pessoas que desrespeitam as leis de Deus, praticam a indecência afastando-se de Deus. Tais práticas não devem ser observadas na Igreja”, referiu a pastora Eva Cosme.
A líder religiosa frisou que a Igreja perdoa qualquer comportamento indecoroso e não deve maltratar ou discriminar familiares, amigos, vizinhos, colegas de trabalho ou de escola homossexuais.
Eva Cosme apelou aos cristãos, principalmente as famílias, para terem uma postura condigna diante de Deus e da sociedade.
A Semana da Bíblia reflecte sobre temas como “Deus a unificar laços”, “Impacto prático da bênção e das maldições na vida das pessoas” e “Cura e libertação”.
A homossexualidade ainda é encarada como um assunto tabu em Angola, sendo um problema muito pouco abordado.